O Inbound Marketing é uma estratégia de marketing digital que cria valor para sua empresa e faz com o que o cliente procure por você.

Exatamente: a lógica é invertida. Não é você quem corre atrás do público, mas ele que lhe encontra.

Para isso, é preciso que seu negócio tenha valor. O que você vende nessa estratégia não é o produto em si, mas a solução de um (ou de vários) problema(s).

Afinal, nossos clientes estão munidos de informação e com certeza podem procurar pelo serviço ou produto que melhor atende às suas necessidades.

E é nessa busca por informações relevantes que você deve ser encontrado. Isso acontece por meio de geração de interesse, conteúdos qualificados e ações voltadas focadas nos resultados.

Na Paes.Digital, é isso que fazemos há seis anos: ajudamos nossos clientes a gerar valor e serem encontrados pelo seu público por isso. 

Somos parceiros da RDStation desde 2016 e hoje somos uma agência digital Platinum Partner.

Além disso, a Paes foi pioneira no trabalho de Inbound Marketing e parceria com a RD Station na região do Vale do Taquari. Isso contribuiu para educar o mercado local, no sentido de buscar resultados e não só estar nas mídias sociais.

Mas, para entrar no mundo do Inbound Marketing, nós sabemos que é necessário ter alguns conceitos bem claros em mente. Não dá para começar do dia para noite.

Existem alguns passos a serem seguidos e que ajudam a trilhar esse caminho de uma forma um pouco mais fácil.

Neste conteúdo, vamos lhe contar sobre os quatro passos para começar a fazer Inbound Marketing. Confira.

Conheça bem a sua persona:

Já sabemos que o Inbound Marketing é a forma do seu público encontrar você. Mas, neste caso, você não deseja ser encontrado por qualquer pessoa.

O que queremos dizer é que sua empresa deve ser encontrada por quem precisa dela. Então, é necessário definir quem é esse público e atuar sempre pensando em atingi-lo.

Analisar seu público é saber sobre o perfil de seus potenciais clientes. São essas as pessoas que você deseja atingir.

O que ganhamos com isso? Estratégias mais assertivas e um relacionamento com o cliente ainda melhor, porque sabemos com quem estamos falando.

E para personalizar estratégias, a criação de uma persona é fundamental. Crie nomes, idades, profissões para cada um, como é a vida dessas pessoas.

Personas são literalmente personagens. É saber exatamente com quem estamos falando, qual língua e o tom de voz que essas pessoas falam.

Além dos dados demográficos considerados para definir o público alvo, com a persona você também tem características de comportamento.

Mas calma: a criação de personas não é feita no achismo. Você deve usar dados. Podem ser os que estão disponíveis nas redes sociais ou então pode-se realizar uma pesquisa com seus clientes. 

O que não podemos é não levar esta etapa a sério ou desconsiderá-la na hora de botar um conteúdo, uma campanha ou uma ação no ar.

 

Estruture bem a jornada de compra:

A qualidade do conteúdo produzido ou das suas ações não termina quando o cliente encontra você. Isso deve permanecer durante toda a jornada de compra.

Explicamos melhor: a jornada de compra são os processos pelos quais a persona passa, nada mais sendo do que uma ferramenta para avaliar o nível de interesse de seu público.

O objetivo é promover ações personalizadas, sempre pensando em atrair mais. As etapas são as listadas a seguir.

 

 

  • Aprendizado e descoberta:

 

Nesta primeira etapa, talvez a persona ainda nem tenha entendido que, para o problema dela, a solução pode vir através de um produto ou serviço – muito menos conhece a sua empresa.

O que ela busca nessa fase é entender sobre um problema que está enfrentando. Por isso, as dúvidas são mais gerais.

Ou seja, o conteúdo produzido para essa fase da jornada precisa ser compatível. 

Blogs ou posts em redes sociais que possam ser compartilhados com muitas pessoas porque tratam de um tema amplo, de interesse comum, são os indicados para essa etapa.

 

  • Consideração:

 

Depois disso, sua persona já é capaz de reconhecer o problema que possui e começa a buscar pelas melhores soluções. Mas isso não significa que ela já está pronta para fechar a compra.

Aqui, é possível que o conteúdo produzido seja mais focado e específico. Além disso, nessa etapa o relacionamento deve tornar-se mais próximo.

Os blogs e conteúdos de redes sociais permanecem como uma boa estratégia.

Mas é possível fazer mais: e-book, e-mails segmentados e webinars podem ajudar muito a fazer com que sua empresa seja considerada como uma boa opção para solução dos problemas.

Esses materiais serão enviados para os leads. Ou seja, pessoas que estão iniciando um interesse em seu produto.

Uma boa dica é oferecer o e-book em troca do e-mail, por exemplo, que é um canal direto de contato com o interessado.

 

  • Decisão:

 

Chegou a hora de decidir o que fazer! Seus leads estão com informações relevantes e suficientes para saber que a melhor solução é fazer uma compra com você.

Nesse momento, sua relação já está bem encaminhada e isso fez toda a diferença. Agora, é preciso continuar fazendo um bom trabalho para que a etapa final seja de encantamento.

Os conteúdos dessa fase vão incluir os seus melhores cases, dados importantes, pesquisa sobre o mercado e, claro, páginas levando para o seu produto, inclusive nas redes sociais.

 

Produza conteúdo e respeite o contexto do canal:

Fazer marketing digital não é apenas estar nas redes sociais. A prova disso é que o Inbound Marketing envolve a produção multicanal.

Ou seja, estamos falando da produção de e-book, de e-mails, de mensagens enviadas para o WhatsApp, de tudo o que é possível explorar dentro do digital.

Cada uma dessas possibilidades possui uma forma de se comunicar, mas todas elas devem estar focadas na persona.

Conteúdos mais longos ou mais curtos, mais genéricos ou mais densos, tudo vai depender da etapa da jornada de compra e da escolha do meio para divulgação.

Uma dica muito importante é: pense primeiro em qual etapa da jornada você quer atingir e com qual conteúdo.

Só depois pense no formato. É comum estar viciado em pensar em post para redes sociais, mas existe um mundo enorme além disso.

Também é preciso respeitar o contexto de cada canal. O Instagram, por exemplo, permite uma linguagem e formatos diferentes dos de e-mails.

Isso inclui anúncios no Google, por exemplo. A mídia paga tem seu espaço garantido em estratégias de Inbound Marketing.

O que queremos é que sua persona encontre você no momento certo, através de conteúdo de valor. Nesse caso, a mídia paga pode agilizar o processo.

Entender que estar no ambiente digital é mais do que ter um perfil em uma rede social é imprescindível para quem quer começar estratégias de Inbound Marketing.

 

Acompanhe os indicadores:

Para saber se sua estratégia está dando certo ou não, você precisa analisar os dados. E quando se trata do mundo digital, isso é o que não falta.

Um termo que precisa ser compreendido é o KIP (Key Performance Indicator). Este é o termo utilizado para se referir ao indicador chave de desempenho.

Cada projeto, cada campanha ou cada ação tem o seu objetivo e por isso tem os indicadores específicos que devem ser analisados. Então, o KIP é o dado relevante para os objetivos do projeto.

Mas como defini-lo? Para início de conversa, você deve escolher uma métrica que seja possível de medir e que esteja de acordo com a sua estratégia.

Saiba que é a partir dessa análise que você saberá se está no caminho certo ou não – e às vezes é necessário recalcular a rota. Ou seja, a análise de KIP vai dar trabalho!

Por isso é importante não perder tempo com dados que não vão lhe levar a lugar nenhum ou que sejam somente uma métrica de vaidade.

A geração de leads, por exemplo, costuma ser um KPI muito relevante. A taxa de conversão também é um bom indicador.

E nesse caso, os números analisados incluem diferentes processos. A taxa de conversão pode ser tanto de visitantes para leads quanto de leads para clientes.

Saber desses dados vai ajudar a entender se sua empresa está conseguindo convencer as pessoas. Números baixos na taxa de conversão significam mudança de planos.

Para finalizar, vamos recapitular o que tratamos neste conteúdo. Para fazer Inbound Marketing é necessário:

 

  • Definir e conhecer bem seu público;
  • Estruturar bem a jornada de compra;
  • Produzir conteúdo multicanal;
  • Acompanhar os indicadores.

 

Seguindo estes passos você já pode começar a elaborar a sua estratégia de Inbound Marketing e atrair mais clientes do que nunca.