Marcamos presença na Gramado Summit: confira tudo que aprendemos durante o evento

A 5ª edição da Gramado Summit aconteceu! E a gente estava lá!

O evento que voltou a acontecer presencialmente, reuniu 200 expositores e mais de 140 palestrantes para falar sobre comunicação, marketing, branding, vendas, finanças, investimentos e empreendedorismo.

Entre os expositores estávamos nós. A Paes montou um estande perto da entrada de acesso do palco principal com muito café, carinhos no Pinhão (um dog que já virou mascote oficial, escalado para 2023) e muita conversa boa!

Crédito da foto: divulgação Gramado Summit

E entre os palestrantes, também! O CEO da Paes, Patrick Paes, esteve no Palco Marketing compartilhando um pouco do seu dia a dia na construção de estratégias de aquisição de leads.

Crédito da foto: divulgação Gramado Summit

A Gramado Summit acontece anualmente e bateu recorde de público na edição de 2022, reunindo mais de 6 mil pessoas. E, nisso, a gente também não podia ficar fora. Nós estivemos à frente da performance do evento, mas isto é história para outra hora.

Hoje, queremos contar sobre o que aprendemos durante o nosso tempo lá. Afinal, nós não tínhamos como ficar de fora de um evento que carrega o slogan de “Festival do Futuro”.

Para contar sobre esta experiência, reunimos o time da Paes que foi representar a agência no maior brainstorming da América Latina. Continue a leitura para conferir.

Insights do nosso time

Crédito da foto: divulgação Gramado Summit

Nanda (Head de Conteúdo):

  • Tiktok é algo para ficar porque é um remix constante e uma plataforma de entretenimento: com a chegada da web 3.0, enxergamos pessoas mais sozinhas e com a necessidade de uma quebra naquela famosa positividade tóxica onde tudo está bem nas redes sociais. Se antes a gente só curtia, comentava e compartilhava, hoje desejamos participar e fazer parte de algo. É isto que o Tiktok entrega: cocriação e participação – remixamos memes, áudios, duetamos, criamos moda, porque hoje é possível ter autenticidade numa remixagem única de conteúdo.
  • As comunidades digitais são fundamentais para quem deseja vender, até porque quando um infoprodutor, por exemplo, possui uma comunidade, ele garante recorrência. Mas para chegar neste nível, é preciso criar uma comunidade. Segundo Malu Perini, comunidades precisam de líderes autênticos, de posicionamento forte e claro, mas sem deixar de mostrar vulnerabilidade e os defeitos – que, segundo ela, é o que fez sua comunidade aflorar mais. Outra questão é que participar daquela comunidade pode trazer benefícios para as pessoas, que pode ser algo tangível ou intangível (desde a participação num Telegram até conteúdos específicos que podem auxiliar ainda mais).

Bruno (Copywriter):

  • Storytelling é uma ferramenta poderosa para qualquer situação. Seja um power point para uma reunião ou a construção de uma história em metaverso. 
  • Nem tanto hype, nem tanto mito: o metaverso é real, mas ainda está muito longe da maioria das pessoas. Não precisamos entrar de cabeça, mas é bom estar por dentro.
  • Comunidade é essencial para quem quer vender online. Essa comunidade precisa de um líder que se conecte com a audiência. Melhor do que ser uma lovemark é ser uma crushmark e reconquistar os clientes todos os dias. 
  • Marcas que apostam só no carinho do público e baixam a guarda nos investimentos tendem a perder mercado.

Milena (Customer Success): 

  • Estar ciente das principais dores da audiência e quais os motivos que impedem o seu público de resolver essas dores/objeções é totalmente necessário, assim como a verdadeira transformação que essas pessoas desejam na vida.
  • O feed serve para conquistar seguidores e os stories para fidelizar audiência/vendas.
  • As emoções influenciam e às vezes determinam completamente as nossas decisões, e os maiores sentimentos em ascensão hoje são: choque com o futuro, excesso de estímulos, otimismo realista e encantamento.
  • Estamos vivendo em uma sociedade sem sincronia, onde as pessoas continuam a fazer as mesmas coisas, mas não na mesma hora, por isso não existe mais “a jornada do consumidor”, existem inúmeras jornadas para os mesmos consumidores. Por isso, a mudança é a única certeza.
  • Devemos ajudar nossos clientes a promoverem a previsibilidade e navegarem melhor pelas mudanças, investir em tecnologias que melhorem a logística do cliente; no final, a comunicação é a chave.

Fê (Social Media):

  • Temos que analisar detalhadamente o comportamento dos usuários e sair das nossas bolhas sociais (isso vale para inúmeras bolhas em que vivemos como econômica, religiosa, étnica, gênero…) para compreender da melhor forma nosso usuário. > “Não se entende comportamento sabendo muito sobre uma única coisa.” (Palestra do Bruno Honório).
  • Os microconteúdos (vídeos de até 15 s) são uma das formas de conquistar maior engajamento atualmente, pois cada vez mais os usuários precisam ter sua atenção presa rapidamente (questão de ¾  s) e estão mais impacientes para vídeos longos. O próprio YouTube vem trazendo o Shorts, uma nova forma de prender a atenção dos usuários na plataforma.
  • Uma habilidade de uma pessoa criativa é compreender que não há somente uma resposta certa para um problema. Muitas vezes quebramos a cabeça em busca dessa resposta única, quando na verdade podemos ter um mar de possibilidades que podem nos levar a novas e melhores soluções. É na mistura do concreto (lógica) e do abstrato que conseguimos ir além da “resposta única” dos problemas.
  • O TikTok não é apenas um app do momento. A plataforma é um grande remix das redes sociais que já tínhamos: ela mescla o conceito de rede social com entretenimento. Estamos na era da particip(ação), onde os usuários querem cocriar, querem fazer a sua versão de trends e memes sem que percam a sua autenticidade. Contrário à era anterior (2010+), quando era considerado plágio ter um conteúdo que se assemelhasse ao de outra pessoa.
  • Uma marca precisa saber dialogar com sua concorrente de forma saudável. Exemplo: quando o SBT manifestou a sua torcida ao Tiago Abravanel no BBB22 no Twitter e a Globo respondeu o tweet na parceria.
  • É preciso saber conectar o seu desejo com o desejo do usuário, para dessa forma criar um conteúdo autêntico e que atraia a atenção.

João (Head de Performance):

Pra mim, o principal insight que o evento gerou foi o de ver e entender mais na prática tudo que ouvimos na teoria sobre lidar com leads e contatos. Acredito que participar como expositor do evento trouxe uma visão completamente diferente sobre como lidar e entender melhor outras pessoas.

  • No mais, é válido citar a importância da venda em comunidade, e como criar essa comunidade de maneira autêntica.
  • Storytelling é uma ferramenta poderosa para todos os tipos de venda.
  • A nova liderança é 80% gestão de pessoas e 20% execução de tarefas.

Marcelle (Talent Management)

  • Como principais insights, vi que a gestão da cultura empresarial é fundamental, e que essa identidade precisa ser repassada e vivida pelo time desde o dia 0.
  • A cultura pode ser caráter decisório no fim de uma parceria, como no começo também.
  • Vi muitas palestras de finanças também, e é muito interessante como o mercado está cada vez com participantes mais engajados no mundo das finanças. Vi pessoas bem jovens, inclusive um palestrante de 13 anos, discutindo sobre finanças, o que prova que não necessariamente precisa ser rico para dar o primeiro passo.

Doug (Head de novos negócios):

  • Do ponto de vista do business, justamente onde a minha atenção estava direcionada, foi extremamente funcional ter um lugar para chamar de nosso, muito diferente de estar como visitante, porque causamos a sensação de que se estávamos lá, tínhamos algo a dizer a todos, começando pelas “call to Actions” estampadas no estande, o que mexeu com a curiosidade do público.
  • Isto nos deu uma visão mais ampla de como é estar como uma das “atrações” discutindo ações importantes e o futuro do marketing dentro das organizações, e principalmente lembrar qual é o nosso papel neste novo cenário em que queremos estar inseridos.

Anderson (Analista de Mídia Paga)

  • O principal insight, pra mim, foi perceber que estar do lado de pessoas tão competentes e únicas, melhora a nossa forma de trabalhar e pensar, simplesmente por estarmos juntos e compartilharmos experiências.
  • Me fez pensar diferente em como agir diante de pessoas como essas, e isto com toda a certeza vai melhorar muito meu crescimento profissional. Pessoas essas que me inspiram e motivam.

Luiz (Sales Development Representative): 

  • Meus principais insights foram sobre a importância da nossa presença em eventos como este, para aquisição de leads qualificados.
  • Compreendi melhor o processo de aperfeiçoamento de bullet points através de testagens do pitch com análise das reações, me questionando constantemente qual bullet point funciona melhor com qual perfil de lead.

Patrick (CEO):

  • Cultura, time, equipe. Qualquer estratégia, qualquer conceito ou metodologia só fará sentido se você estiver muito bem alinhado e cercado por pessoas.
  • É sobre o fator humano. É sobre intuição. É sobre human first. O resto? Se faz. Ah: apenas começamos.

O que a Gramado Summit significou para a Paes

Nanda:

É muito massa poder voltar a um evento do tamanho da Gramado Summit e ainda participar como expositor. São 3 dias intensos de muito networking e gente de vários lugares do país lhe ensinando algo novo ou lhe contando uma história nova. Além disso, o conteúdo que o evento trouxe é muito valioso por ter insights valiosos de profissionais do mercado.

Bruno:

Participar como expositor e visitante dobrou a sensação de realização. Ver o evento lotado e ficar imaginando quantas daquelas pessoas só chegaram ali por causa do trabalho da Paes foi demais. Tantos nomes gigantes e empresas incríveis reunidas em um só lugar faz a gente pensar que não tinha outro lugar pra estar em abril que não fosse em Gramado.

Milena:

Participar do evento foi demais, a Gramado Summit tem uma estrutura surpreendente, com muitos palestrantes fod*, apresentando conteúdos de muito valor. Além disso, conseguimos fazer muito networking e conhecer pessoas maravilhosas. Estar presente na Gramado Summit valeu cada momento.

:

Foi o primeiro evento do gênero em que pude participar. É um misto de sentimentos por poder não só representar a Paes, mas também poder ouvir palestras de grandes nomes como Kim Farrel, Gabriel Sukita, Carlos Alberto Ferreira Jr., entre outros. Foi uma grande oportunidade para absorver muito conteúdo e me desenvolver ainda mais pessoal e profissionalmente.

João:

Participar de um evento como expositor foi completamente diferente de qualquer outra experiência que eu já tinha tido, pois muda completamente a forma de como você participa e aprende. Sinto que a experiência me trouxe um grande crescimento pessoal e profissional, pois me possibilitou mais contato com o “outro lado” do balcão também, no contato com leads e também mais networking. Junto a isso tudo, toda a experiência do evento, ainda mais sabendo que fazemos parte do sucesso dele, tornam com certeza a ida à Gramado Summit uma experiência muito fo**.

Marcelle

Participar de um evento dessa magnitude, ainda mais como expositor, e mais ainda como agência parceira responsável pela gestão da performance do evento, deu uma baita sensação de como estamos grandes. A importância do posicionamento da Paes nos trouxe contatos extremamente sólidos e garantia de sucesso.

Doug:

Foi a primeira vez que a nossa presença teve outro sentido/importância, porque saímos da posição de espectadores para sermos uma das diversas atrações distribuídas na feira. Foi uma construção que costurou relações pessoais, profissionais e serviu para chancelar que vivemos atualmente o nosso melhor momento, mostrando claramente que estamos preparados para ser e estar num ambiente falando sobre marketing digital, inovação, metodologias e cultura com muita autoridade.

Anderson:

Participar de um evento do tamanho e da importância da Gramado Summit foi, sem sombra de dúvidas, uma das experiências mais únicas que eu tive o prazer de viver na minha vida profissional e pessoal. Estar cercado de pessoas extremamente competentes, que vão ceder alguns minutos do tempo delas para lhe passar um ensinamento ou fazer um networking, é de arrepiar.

Luiz:

A participação foi muito marcante para mim, eu gosto muito de ativações presenciais como esta. Depois de tanto tempo de reclusão, é muito bom estar em um evento com tantas pessoas prontas para diferentes diálogos sobre marketing digital e as possibilidades envolvendo a agência.

A sensação foi uma mistura de emoções começando pela expectativa prévia, passando pelo cansaço da correria, mas também a imensa satisfação em cada novo contato feito. No final do evento, uma forte percepção de orgulho através do dever cumprido tomou conta de mim.

Patrick:

Incrível. Estar “do outro lado do balcão” de um evento do tamanho da Gramado Summit é sem palavras. Eu, que sempre fui fã do evento, poder estar sendo um parceiro e atração dele (tanto com oportunidade de palestrar para quase 400 pessoas quanto ser A agência oficial do evento, é loucura). Eu só consigo falar e repetir: apenas começamos. Esse movimento, essa ativação na Gramado Summit foi uma virada de chave extrema para a gente e que certamente fará a gente colher ainda mais frutos do que já estamos plantando há tanto tempo.

 

Este não é nem de longe um resumo do evento. Mas a gente não tinha como reduzir o tamanho da experiência que foi o Gramado Summit. Por isso, “perdoe o textão”.

Até a próxima edição!