Dados e criatividade: uma união para campanhas de sucesso

A criatividade é sem dúvida essencial para o marketing. E aqui no Brasil, ela corre solta: temos o quarto mercado mais criativo do mundo, segundo o WARC Creative 100.

Em outra pesquisa, realizada pela consultoria Nielsen Catalina Solutions, a criatividade aparece como o principal ingrediente para o sucesso de campanhas de publicidade e branded content. 

Mas hoje, com a ciência de dados, é possível aliar estes dois fatores para criar campanhas mais assertivas, Quem diz isso são os próprios dados da Think with Google, laboratório de tendências do Google.

Aliás, o uso de dados na publicidade já é consolidado em alguns segmentos.

Mas como fazer uma leitura correta dos dados, ampliar o controle e causar impacto efetivo nos resultados de campanhas? É o que responderemos neste artigo.

Dados + Criatividade

Ao longo dos anos, o jeito de pensar, produzir e fazer a gestão de campanhas mudou. A tendência é que mude ainda mais.

Há pouco tempo, as equipes criativas criavam campanhas com custos de produção e veiculação extremamente altos. E tinham como base dados de pesquisas com uma metodologia duvidosa.

Para saber os resultados da eficácia das campanhas frente aos seus objetivos, era preciso esperar semanas ou meses.

Hoje em dia, no entanto, o profissional criativo pode e deve utilizar as ferramentas de análise de dados para alimentar suas ideias e métodos criativos a favor dos objetivos das campanhas.

Com dados confiáveis é possível ter ideias que abrem caminhos extraordinários para campanhas disruptivas, impactantes e, claro, que tragam resultados.

Na internet, é possível criar campanhas-teste e testar os índices de engajamento, as jornadas dos consumidores diante dos impactos das peças criativas, entre outras enriquecedoras informações.

É o fim da era do “achismo”. A análise é realizada em cima das ações que o público-alvo executa nos meios digitais, e não apenas no que ele diz fazer.

Com isso é possível ajustar as peças e buscar resultados melhores. Os dados ajudam a responder perguntas como: 

  • Qual a peça criativa que gera mais clique? 
  • Será que é a peça que gera mais conversão? 
  • Qual o estilo de linguagem, imagem e oferta que gera mais resultados de percepção de marca? Será que é o mesmo que gera mais conversão de venda?

As verdades absolutas ficaram no passado

Se um profissional de criação torna-se refém das “verdades absolutas”, ele certamente sairá perdendo. Afinal, agora, são os números que dizem se a campanha é boa ou não.

É simples assim.

Por isso, ao realizar campanhas, é sempre bom checar os dados primeiro.