destaque para tela de celular com o Facebook em uso por usuário

 

Quem nunca ouviu alguém falar que “o Facebook vai acabar” que atire a primeira pedra.

Há sempre alguém para cravar que a rede social de Mark Zuckerberg está próxima do fim, tanto entre os usuários quanto na mídia especializada. Inclusive, deve haver alguém especulando sobre isso neste exato momento. 

Essa é uma história antiga, mas que nunca se concretizou, apesar de sempre estar presente no imaginário de grande parte dos internautas. 

A origem dessa – podemos dizer – expectativa pelo fim do Facebook muito se explica pela experiência vivida por outras redes sociais e pela própria dinâmica da internet. 

Foi o caso, por exemplo, do Orkut, rede social que era fenômeno no Brasil e foi extinta em 30 de setembro de 2014. 

A empresa chegou ao fim diante da perda de relevância com o avanço do Facebook, criado em 2004 e que se tornou a maior rede social do mundo no ano de 2012. 

Mas na mesma medida em que o Facebook alcançava o topo das redes sociais, muitos já começavam a apostar que era apenas uma questão de tempo para que este fosse superado por uma nova rede social.

Afinal de contas, havia a ideia predominante de que tudo muda o tempo todo no ambiente virtual, o que não deixa de ser uma verdade.

Aliás, aí é que está o x da questão: o Facebook manteve fôlego até aqui porque soube incorporar essa ideia aos seus negócios. 

A empresa entendeu que era preciso reinventar-se constantemente para se manter viva no mercado, contrapondo àqueles que apostam na narrativa de que o Facebook vai acabar. 

 

Por que o Facebook ainda não vai acabar 

 

Assim como não é possível cravar que o Facebook vai acabar, tão pouco é possível afirmar que a empresa vai se manter viva para sempre. Apesar disso, até aqui, ela tem superado as suas crises internas e ainda mostra força no mercado das redes sociais.

Mark Zuckerberg não fica muito tempo sem dar o ar da graça na sua própria rede social para anunciar alguma novidade para algum dos aplicativos pertencentes ao Facebook.

Porque, caso você não saiba, a empresa Facebook não é dona apenas do aplicativo Facebook, mas também do Messenger, do Instagram e do WhatsApp. Você sabia disso?

Trata-se de um verdadeiro império das redes sociais, que soma 3 bilhões de usuários em todo o mundo, segundo dados do primeiro trimestre de 2020

O faturamento nesse período chegou a US$ 17,7 bilhões, mesmo com a queda na receita de publicidade no final de março devido à crise do novo coronavírus.

Diante de números tão significativos, fica difícil falar que o Facebook vai acabar, não é mesmo? 

Tampouco o Facebook comporta-se como uma empresa que esteja próxima do fim. Ao contrário, como fez nos últimos anos, segue apresentando novidades aos usuários e demonstrando capacidade de resposta diante do momento atual vivenciado pela humanidade. 

 

As novidades mais recentes apresentadas pelo Facebook 

 

Os anúncios mais recentes por parte do Facebook demonstram que a empresa segue buscando ampliar o leque de experiências e soluções proporcionado por seus aplicativos. 

Uma das novidades foi anunciada por Mark Zuckerberg no último dia 19 de maio. Trata-se de uma nova ferramenta focada na criação de lojas online, o Facebook Shops.

I just announced that we're launching Facebook Shops today – the basic idea is that any small business can easily start…

Posted by Mark Zuckerberg on Tuesday, May 19, 2020

 

Diante do contexto de pandemia, a proposta é de que pequenas empresas possam vender de onde estiverem e, assim, consigam diminuir os impactos do novo coronavírus sobre o seu negócio. 

Conforme anunciado pela rede social, o usuário vai conseguir encontrar as lojas virtuais com facilidade na página do Facebook, no perfil do Instagram ou simplesmente deslizando para cima no Instagram Stories. 

Mas não para por aí: o Facebook também lançou, no último dia 15 de junho, um novo recurso para o WhatsApp.

A novidade permite que os usuários enviem dinheiro para seus contatos e paguem por produtos de empresas sem sair do aplicativo. 

Zuckerberg fez o anúncio pelo seu perfil no Facebook, onde informou que o lançamento estava começando pelo Brasil.  

Para fazer isso, estamos construindo no Facebook Pay, que oferece uma forma segura e consistente de fazer pagamentos em nossos aplicativos. Quero agradecer a todos os nossos parceiros por tornarem isso possível. Estamos trabalhando com bancos locais, incluindo Banco do Brasil, Nubank, Sicredi e Cielo, o principal processador de pagamentos para comerciantes no Brasil.”

Confira o anúncio completo: 

Today we're starting to launch payments for people using WhatsApp in Brazil. We're making sending and receiving money as…

Posted by Mark Zuckerberg on Monday, June 15, 2020

 

Vejam: o criador do Facebook terminou o anúncio com a seguinte frase: “…mais por vir em breve!”.

Quais serão as próximas novidades anunciadas pela empresa? Também estamos curiosos e no aguardo!

 

E então, você ainda seria capaz de acreditar que o Facebook vai acabar em breve? Nós acreditamos que não.

Mas independente do que você acha ou deixa de achar, o nosso recado é bastante simples: inspire-se no Facebook, reinventando-se constantemente diante do cenário de rápidas mudanças trago pela internet.

Não se deixe ficar para trás: faça a sua parte para manter o seu negócio vivo aos olhos do público! 

 

P.S.: enquanto escrevíamos este texto, teve início uma campanha global de boicote à publicidade no Facebook, liderada por grandes empresas como Coca-cola e Unilever, com o objetivo de pressionar Mark Zuckerberg a ampliar o controle sobre a publicação de discursos de ódio na plataforma.  

Trata-se de mais uma situação emblemática com a qual o criador do Facebook vai ter que lidar. Vamos aguardar para ver como ele vai responder no discurso e na prática. 

Mas uma certeza, você pode ter. Que em algum lugar, alguém vai dizer: agora, o Facebook vai acabar.